DETALHES E DICAS SOBRE A CHAPADA DOS GUIMARÃES

 

IMG_8079
Cachoeira Véu de Noiva, no PARNA Chapada dos Guimarães (#PraCegoVer: Fotografia de paisagem. Paredões naturais de rocha e cor avermelhada, com vegetação verde. No meio da foto, uma cachoeira estreita e alta. Na parte de baixo da foto, no lado esquerdo, a inscrição, em letras brancas, @porquesomosdomundo)

PRA ESCOLHER A ÉPOCA DE IR…

Pra escolher a época, nos baseamos no fato de que a região tem duas estações básicas: uma de chuva e outra seca, que vai, mais ou menos, de maio a setembro/novembro; optando por esta pra evitar a chuva. Decidimos pelo início do mês de junho, pois, como a estação seca iniciou há pouco, ainda é possível encontrar bom volume de água em rios e cachoeiras.

Só que, a essa estação seca é também o inverno, onde é comum a chegada de frentes frias, baixando as temperaturas, que deixa o clima mais ameno pras caminhadas, mas também traz a formação de nevoeiros, que podem até impedir alguns passeios.

É BOM ESTAR DE CARRO…

Um ponto crucial da viagem: estar com carro é essencial pra os passeios, porque contratá-los com carro aumenta o custo (mais que o preço do aluguel), os atrativos são distantes da cidade e as estradas, da maioria deles, podem ser percorridas com carro comum. Pra os atrativos em que seja necessário carro 4X4, como a Cidade de Pedra e o Vale do Rio Claro, o jeito é contratar o serviço do guia com o carro. Mais adiante, a gente vai explicar melhor esses custos.

Além disso, alguns dos bons restaurantes ficam fora da cidade e estar de carro permite ir até eles com tranquilidade, no seu ritmo…

ONDE FICAMOS…

Nos hospedamos na Pousada das Orquídeas, que tem uma ótima avaliação no Booking. A pousada é pequena e estava em reforma, nos dias em que estivemos lá, o que nos rendeu alguns incômodos com as obras, como sermos acordados, às 07h30 da manhã, com o barulho de uma parede que estava sendo derrubada.

Além disso, a pousada fica um pouco distante do centro da cidade, o que não é conveniente quando não se está de carro.

As donas da pousada, Bendix e Adriana, são muito prestativas e simpáticas, e nos auxiliaram a encontrar guia para os passeios.

Pousada das Orquídeas

ACOMPANHAMENTO DE GUIAS…

A maior parte dos atrativos de Chapada dos Guimarães necessita de guia para visitação. Dos que estivemos, apenas as Cachoeiras Véu de Noiva, dos Namorados e a Cachoeirinha (todas dentro do Parque), podem ser visitadas sem guia; nessas, as trilhas são autoguiadas.

Os demais atrativos que conhecemos, dentro e fora do Parque, necessitam da contratação de um guia. A cidade dispõe de diversos desses profissionais, vinculados ou não a agências.

Ao que nos pareceu, a maioria dos guias trabalha de forma avulsa, com a diária, pra duas pessoas, a R$150,00; nesse caso, o transporte é feito no carro do visitante.

No caso de passeios que necessitam de carro tracionado, o valor é maior. O passeio que fizemos pra Cidade de Pedra + Vale do Rio Claro tem um custo de diária de R$600,00 pra até quatro pessoas; se forem menos de quatro, tente negociar com o guia.

Não sabemos quanto custam os demais passeios que necessitam carro com tração 4×4, nem quanto custa a diária do guia com carro comum.

Nós tivemos como guias a Jose, que nos acompanhou no Circuito das Cavernas, Circuito das Cachoeiras e Circuito Águas do Cerrado; e o Jaci, que nos levou à Cidade de Pedra + Vale do Rio Claro. Recomendamos ambos, pela tranquilidade, gentileza e conhecimento sobre os lugares visitados e sobre a arte de guiar, além de serem pessoas da cidade, que vivem o modo de ser do lugar.

Contatos:

Jose – 65 9971 8393

Jaci – 65 9227 9811

O site do Parque tem uma lista dos guias credenciados e habilitados para cada atrativo, indicando, inclusive, os idiomas que falam.

ONDE ENCONTRAR INFORMAÇÕES SOBRE O PARQUE NACIONAL DA CHAPADA DOS GUIMARÃES…

IMG_1389

Informações sobre o parque neste link.

IMG_1390

SOBRE COMIDAS E LUGARES DE COMER…

Chapada dos Guimarães, apesar de pequena, possui inúmeras opções gastronômicas. Nós provamos algumas, como mencionado no post. A maioria delas está na Praça Dom Wunibaldo e nas ruas adjacentes… ou está afastada da cidade, onde somente se pode ir de carro.

No Cantinho da Tapioca comemos uma deliciosa tapioca de carne seca, banana e queijo, acompanhada de café.

Na Manjericão, a pizza foi marguerita com aliche. Uma pizza mais elaborada, por assim, dizer, e, por isso mesmo, mais cara. Mas vale a pena! É deliciosa!

Estivemos também na Trattoria Pomodori… mas lá, a despeito de ser especializado em massas, comemos feijoada… muito boa!

O Restaurante Garoa, na praça principal, nós comemos peixe. Lá, você escolhe o peixe, o molho e os acompanhamentos… comida maravilhosa! Mais que recomendado!

A Tapiocaria da Lu é indicada por muitos blogs. Nossa experiência não foi muito feliz e preferimos o Cantinho da Tapioca, que fica na mesma Praça Dom Wunibaldo.

O capuccino da Villa do Chocolate faz muito bem, especialmente numa noite mais friazinha…

Por fim, experimentamos o Restaurante Atmã (que já demos maiores detalhes). Pedimos Peixe Bete e Risoto de Cogumelos. Imperdíveis!

Estranhamos, na cidade, a falta de sucos de frutas nos restaurantes. Em geral, tinha apenas suco de laranja e limão. Alguns lugares, apenas sucos em lata. Uma pena, diante da diversidade de frutas do cerrado…

SOBRE LEMBRANCINHAS…

A cidade tem uma loja de artesanatos, em esquema de cooperativa, que funciona na praça central, além de algumas outras nas ruas próximas.

Uma feirinha de artesanato, na mesma praça central, funciona apenas durante o dia, aos sábados e domingos (temos dúvida com relação a sexta)… meio na contramão pra quem está em Chapada conhecendo os atrativos naturais e passa o dia inteiro fora da cidade, como nós, que nem chegamos a ver a tal feirinha… vimos apenas as barracas sendo montadas e já desmontadas…

IMG_8275
Paisagem do cerrado em Chapada dos Guimarães

SOBRE OUTROS ATRATIVOS PRA VISITAR…

Além daqueles que escrevemos, a Chapada dos Guimarães tem diversos outros para visitar.

– Tem o Morro São Jerônimo, que também fica no Parque, com uma trilha de cerca de 18 km (ida e volta), que exige guia acompanhante. O site do parque tem mais informações.

– Tem a Casa de Pedra, que é uma gruta de arenito dentro do Parque. Ao que lemos, depois de ter feito o Circuito das Cachoeiras, é possível inseri-la nesse roteiro. Pergunte ao(a) seu(sua) guia.

– Tem diversas outras cachoeiras, como a Cachoeira da Martinha, da Geladeira, do Marimbondo, do Segredo… algumas apenas ouvimos falar, outras vimos placas indicativas de direção, na estrada ou na cidade.

– Tem outras opções de banho, nos rios que cortam a região.

– Tem alguns outros mirantes, para apreciar os paredões e a planície. Nesse ponto, ouvimos falar do Restaurante Mirante do Cerrado e do Mirante do Centro Geodésico. Desse último, ouvimos de um casal de turistas, que o carro deles foi arrombado e levaram malas e equipamentos, enquanto estavam no local. Ao que disseram, o mirante não está funcionando adequadamente. Melhor ter cuidado.

SOBRE CONDIÇÕES DO TEMPO E SUAS PREVISÕES…

A Chapada dos Guimarães, como mencionamos no post, tem duas estações, uma seca e uma de chuvas. Nós escolhemos a estação seca, buscando evitar (claro!) as chuvas. E isso aconteceu.

Mas, falar do tempo em Chapada dos Guimarães não é tão simples assim…

Pelas nossas pesquisas, a estação seca é época de céu limpo… só que isso pode não ocorrer, se vier frente fria, por exemplo.

Como narramos, fomos em junho, na estação seca. Mas tivemos, principalmente nos dias de chegada e partida, tempo completamente nublado… céu branquinho… e, junto, vem os nevoeiros, densos… muito densos!

E, por vezes, o dia iniciou nublado e evoluiu pra ensolarado…

Pra completar, as consultas de previsão de tempo que temos disponíveis na internet nem sempre conseguem captar essas questões. Houve dias em que a previsão do tempo informava, na noite anterior ou já pela manhã, céu completamente nublado, com previsão de chuva; e o que tínhamos efetivamente era céu limpo, com um calorão daqueles!

A gente achou interessante mencionar, pra que você não desanime, na hora de fazer os passeios, se a previsão do tempo não estiver boa… tá na Chapada, vá pra trilha, vá pra cachoeira, vá ser feliz! (Só não vá se o guia disser “não”; aí, melhor procurar outra opção de passeio).

A neblina cobrindo a paisagem, em Chapada dos Guimarães

SOBRE QUANTO TEMPO FICAR…

Isso é uma questão muito pessoal, que, depende, inclusive, do tempo que a pessoa tem disponível.

Nós ficamos cinco dias inteiros, sem contar os de chegada e saída. Fizemos programação intensa em todos eles e ainda restaram diversos atrativos, como listamos acima.

Ainda, é bom considerar as possibilidades de variação do tempo, que podem inviabilizar os passeios…

IMG_8103
A beleza do pôr do sol na Chapada dos Guimarães

…..

Links relacionados;

A CHAPADA DOS GUIMARÃES

CIRCUITO DAS CAVERNAS – PRIMEIRO DIA EM CHAPADA DOS GUIMARÃES

CIRCUITO DAS CACHOEIRAS – SEGUNDO DIA EM CHAPADA DOS GUIMARÃES

CIDADE DE PEDRA E VALE DO RIO CLARO – TERCEIRO DIA EM CHAPADA DOS GUIMARÃES

CIRCUITO ÁGUAS DO CERRADO – QUARTO DIA EM CHAPADA DOS GUIMARÃES

PARNA CHAPADA DOS GUIMARÃES – QUINTO DIA EM CHAPADA DOS GUIMARÃES

…..

* Este não é um post patrocinado. O espírito do blog é de narrar histórias e experiências, de forma que esse escrito reflete unicamente a opinião dos autores.

**Viagem realizada em junho de 2018.Valores informados a também correspondentes a junho de 2018.

 

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s