PELO INTERIOR DA NORUEGA… E UM PEDACINHO DA FINLÂNDIA

IMG_4332
Svolvær

A nossa experiência de ver a aurora boreal, com a Geotrip, trouxe junto a oportunidade de conhecer algumas cidades e localidades do interior da Noruega e da Finlândia.

O nosso roteiro começou pela cidade de Svolvær, chegando em um voo vindo de Oslo, onde encontramos o grupo na noite anterior. Deixamos Oslo com temperaturas ao redor dos 8ºC e, a partir dos dias pelo interior da Noruega, ela passou a girar ao redor do 0ºC (variando de 2ºC a -2ºC… chegando a -7ºC, nas saídas noturnas pra ver a aurora… e a -10ºC na Finlândia).

IMG_5520

Svolvær é uma cidade localizada no arquipélago de Lofoten, na costa sul da ilha de Austvågøya, de frente para o mar aberto do Vestfjorden. É uma cidade pequena, que tem na pesca (especialmente do bacalhau) a base de sua economia; e que, pouco a pouco, vem desenvolvendo também o turismo.

IMG_4491
Estrutura usada pra secar bacalhau…

Nos hospedamos no hotel Scandic, muito bom, na borda do fiorde (nosso quarto tinha vista para ele), ao lado do porto; destaque para o café da manhã, muito variado, não somente dos itens chamados “continentais”, como de itens da gastronomia local, a exemplo de peixe cru e em conserva, além de ovas.

Tivemos o restante do dia livre e saímos caminhando e fotografando, encantados com o colorido das casinhas e com os reflexos delas e dos barcos, na água. Almoçamos numa delicatessen do pequeno shopping de Svolvær, fizemos umas compras no supermercado, tiramos mais umas fotos e voltamos pro hotel pra descansar um pouco, porque à noite teríamos nossa primeira saída pra ver a aurora boreal.

IMG_4353

IMG_4306
Hotel Scandic

No dia seguinte, ainda em Svolvær, saímos novamente pra caminhar e fotografar. Atravessamos uma ponte e fomos até um outro lado da ilha (ou seria uma outra ilha?… são centenas de ilhas no arquipélago de Lofoten). Caminhamos bastante. O tempo estava aberto, fechou, choveu, abriu novamente. Almoçamos pizza na 7 Eleven (com café… rsrsr… coisas do frio). No meio da tarde, saímos em direção a Leknes; onde, depois de uma paradinha, procuramos um lugar pra ver a aurora.

Amanhecer visto da janela do hotel…

Svolvær

IMG_4389
Svolvær vista do outro lado da ponte…
IMG_4415
A caminho de Leknes

Próximo dia foi intenso. Acordamos cedo, fizemos o check out do hotel e deixamos as malas. Saímos de van, em direção a Reines. No caminho, parada em Leknes e no museu viking de Lofotr.

Museu Viking de Lofotr

Lofotr é um museu histórico, baseado na reconstrução e nas escavações arqueológicas da maior moradia viking descoberta em todo o mundo, no arquipélago de Lofoten, norte da Noruega. Está situado no povoado de Borg e inclui a reconstrução da casa de um chefe viking, medindo 86 metros de comprimento por 9 metros de largura, onde o visitante tem reproduções de cenários e atividades rotineiras de mil anos atrás, do cotidiano dos vikings.

Cênicas estradas da Noruega

Chegamos a Reines já no início da noite e, depois de algumas fotos, retornamos… nosso navio nos aguardava para as 22h.

IMG_4633
Reines

À noite, já de volta a Svolvær, pegamos um navio que nos levaria a Tromsø. Foi nossa primeira experiência de navegação em cruzeiro. E aproveitamos todos os momentos… desde o zarpar do porto de Svolvær, ficamos no convés, admirando a aurora, que nos acompanhava… vimos uma manobra mais que especial: o navio entrar e retornar dentro do Trollfjord, um surpreendente canal do fiorde, de 2 km de comprimento, entrada de apenas 100 metros de largura, que se amplia até uma largura máxima de 800 metros, onde o navio dá a volta e retorna. Emocionante ver aquele navio imenso passando a poucos metros dos paredões de pedra (entre 600 e 1100 metros de altura), em que refletiam as luzes da aurora boreal. Curioso que o nome do navio era o mesmo desse canal: MS Trollfjord. E permanecemos no convés até quando o cansaço permitiu… afinal, foi um dia intenso!

No dia seguinte, ainda curtimos a navegação, para, no início da tarde, chegarmos a Tromsø.

Paisagens na navegação pelos fiordes…

IMG_4879
Chegando a Tromsø

Aí, a nossa hospedagem foi o Clarion Colection Aurora, no centro da cidade e também pertinho do fiorde; um bom hotel, que tinha, inclusos, além do café da manhã, um café da tarde, com waffles e croissants, e o jantar. Ter o jantar já servido, relativamente cedo, foi uma vantagem pra sairmos em busca da aurora.

Nesse dia da chegada, caminhamos um pouco pelas cercanias do hotel e retornamos pra nos preparar pra buscar a aurora.

IMG_4912
Entardecer em Tromsø

Tromsø é oitava maior cidade da Noruega, em termos populacionais, além de ser a sede da Universidade de Tromsø, o que lhe deu um ar de cidade cosmopolita, com uma forte presença de jovens estudantes. É também uma cidade importante no circuito turístico do norte da Noruega, com o posto de uma das melhores cidades no mundo para se ver aurora boreal. Estando lá, principalmente em seu centro, ficamos nos perguntando onde estaria o trânsito da cidade; e a resposta veio: pela superfície, circula apenas o trânsito local; as avenidas são subterrâneas, em túneis que tem até semáforos e rotatórias, e passam, inclusive, por baixo do fiorde; uma solução muito interessante, principalmente se pensarmos no período do inverno, quando as vias de superfície costumam ficar cobertas de neve. E, falando em solução para tempos de inverno, quando estivemos lá, estava sendo instalada calefação na calçada da praça que circunda a catedral da cidade, decerto para maior conforto dos pedestres.

IMG_3613
Catedral de Tromsø – Domkirke

No dia seguinte, andamos bastante, explorando a cidade de Tromsø, caminhando pela borda do fiorde, indo até o Polaria e o Polstjerna. Voltamos na direção do centro da cidade, passando por uma oficina de peças de vidro (Blåst Glass Blowing Studio), pela catedral de Tromsø (Domkirke), andando pela Storgata (rua para pedestres), passando pela Biblioteca e Arquivo da cidade (Tromsø bibliotek og byarkiv), pelo Perspektivet Musem e The Polar Museum (não conhecemos os museus por dentro); admirando todo o centro, o colorido (ainda) do outono e a beleza da proximidade com o fiorde e as montanhas que cercam a cidade.

Polaria e Polstjerna

IMG_3610
Blåst Glass Blowing Studio

Storgata em Tromsø

IMG_4971
Tromsø bibliotek og byarkiv

No final da tarde, fomos até um shopping center, nas cercanias da cidade, visitar uma “mega” loja de artigos esportivos, a XXL. Ela tem de tudo pra todos os esportes… e, claro, fizemos nossas comprinhas, inclusive de algo inusitado pra a época e lugar: sapatilhas de neoprene pra caminhar em coral!… talvez fosse a última coisa que esperássemos trazer da Noruega; mas aconteceu… rsrsr… À noite, saímos novamente pra buscar a aurora boreal…

No outro dia, deixamos Tromsø em direção a Kilpisjärvi, na Finlândia. Antes, porém, uma parada pra conhecer a Catedral do Ártico (Ishavskatedralen), a catedral mais ao norte de todo o planeta (não entramos porque estava acontecendo uma celebração); e outra parada no Teleférico (Fjellheisen), de onde se tem uma vista maravilhosa dos fiordes, montanhas e ilhas, incluindo a ilha onde Tromsø está localizada (sim, numa ilha!). O teleférico vai até o topo da montanha Fjellheisen Storsteine, 421 metros acima do nível do mar, em quatro minutos e, sem dúvida, é uma atração imperdível.

IMG_5010
Catedral do Ártico
IMG_5087
Tromsø vista a partir do Fjellheisen Storsteine

A caminho de Kilpisjärvi

Chegamos a Kilpisjärvi já no final da tarde, pra nos hospedar no Tundrea Holiday Resort, um conjunto de cabanas (pra oito pessoas), situado à beira de um lago. Nesse dia, apenas jantamos no hotel e curtimos a noite, numa conversa com companheiros e companheiras de grupo, que dividiram o chalé conosco. Um episódio interessante: após o jantar, queríamos comprar uma garrafa de vinho pra levar pro chalé, mas a atendente do hotel nos informou que, pela lei finlandesa, não poderíamos comprar o vinho e levar nós mesmos pro chalé; ela deveria levar; não entendemos… poderíamos ter comprado o vinho no supermercado (que ficava do outro lado da rodovia) e levado diretamente pro quarto, e não haveria problema; seja por que motivo for, era a lei; então, compramos o vinho, fomos andando pro chalé e, minutos depois, a atendente chega de carro pra fazer a entrega; pra nós, um exemplo de que, se é regra, é pra ser cumprida, ainda que ninguém esteja vendo ou fiscalizando.

IMG_5191
Como encontramos Kilpisjärvi

Kilpisjärvi é uma aldeia no município de Enontekiö, na Lapônia, perto do ponto mais noroeste da Finlândia. Embora seja uma das maiores aldeias de Enontekiö, ainda é bastante pequena, tendo registrado apenas 114 habitantes em 2000 (segundo dados da Wikipedia). A despeito disso, Kilpisjärvi tem sua própria escola e a estação de pesquisa mais ao norte da Universidade de Helsink. Foi um local que pra nós proporcionou vivências muito interessantes: embora ainda fosse outono, encontramos a região completamente coberta de neve e com temperatura de -10ºC (registrada em termômetro de mercúrio); foi a primeira vez em que estivemos por dois dias em um ambiente coberto de neve… o lago congelado, dava pra caminhar em cima (medo!)…. Foram muitas e muitas fotos dessa paisagem tão diferente pra nós… E ainda estar em uma aldeia de pouco mais de cem habitantes e que tem sua própria escola (resultado da seriedade com que a Finlândia trata a educação); e ter à disposição um “supermercado” com tantas variedades de produtos, que mais parecia uma loja de departamentos que vendia comida.

Amanhecemos com a área do hotel ainda mais coberta de neve (nevou na madrugada) e, após o café da manhã, passamos o dia admirando e fotografando a paisagem. Fomos ainda ao supermercado pra comprar o almoço (os dois restaurantes (!) da aldeia estavam fechados; e o chalé tinha toda a estrutura pra cozinhar). Foi um dia leve, calmo, no tempo da contemplação daquela visão tão distinta: de olhar pros lados e ver tudo branquinho, com o céu bem azul…

Amanhecendo em Kilpisjärvi

IMG_5519
Parece pintura!
IMG_5212
O entardecer visto da varanda do nosso chalé…

O grupo comprou ainda os ingredientes pra o churrasco (incluindo carne de rena) que foi feito à noite, também na área do resort; um momento para maior interação e quando tivemos a condição mais confortável pra ver a autora boreal: nessa noite, com céu limpo, ela dançou lindamente sobre nossos chalés!

No dia seguinte, hora de voltar pra Tromsø. Pegamos estrada no final da manhã e, no caminho, uma parada pra fotos no marco da tríplice fronteira: Finlândia, Noruega e Suécia.

As estradas, na Finlândia e na Noruega

IMG_5616
Marco da tríplice fronteira

Chegamos a Tromsø ainda no meio da tarde, com tempo pra umas pequenas compras de lembrancinhas e guloseimas… e pra mais fotos!

À noite, tivemos nossa última saída pra ver a aurora, com tempestade geomagnética, quando ela apareceu maravilhosa e intensa, na nossa despedida dessa que foi uma das grandes emoções que a Natureza nos permitiu viver.

Dia seguinte, muito cedo, pegamos nosso voo para Oslo. Nos separaríamos do grupo e permaneceríamos mais dois dias na capital norueguesa, pra depois voltar ao Brasil.

Últimos olhares sobre Tromsø

Da mesma forma como comentamos no post sobre Oslo, a Noruega é um país lindo, muito, muito além da aurora boreal! Os poucos dias e oportunidades que tivemos de conhecer o seu interior (além de Oslo, claro) nos deram uma ideia do quanto ela tem de beleza, numa natureza incomum, com seus fiordes característicos, montanhas, ilhas, uma costa recortada que parece uma renda… suas casinhas típicas, coloridas… estradas maravilhosamente cênicas, que parecem pinturas, com pontes ligando essas muitas ilhas…

Fica, sim, um desejo, de um dia poder retornar, pra viver essas paisagens com mais tranquilidade, quem sabe numa road trip de verão…

* O roteiro e as hospedagens do interior da Noruega, bem como da noite que dormimos em Oslo antes do início do tour em grupo, foram providenciados pela Geotrip, assim como toda a logística de transporte por terra e bilhetes de avião e navio. Esse roteiro é especialmente voltado para a busca da aurora, de forma que os passeios incluídos foram adaptados a essa dinâmica de ver “a senhora das luzes do norte”; e as possibilidades de passeio por conta própria ficam também reduzidas, pois todas as noites e inícios de madrugadas estavam comprometidos com a aurora, o que nos deixava um pouco cansados pelo dia também. De qualquer forma, é um roteiro e um serviço que atendem bem a esse propósito de busca da aurora, numa condição segura e profissional, e ainda nos permite ter uma ideia das belezas da Noruega e de um pouquinho da Finlândia (bônus extra).

** Este não é um post patrocinado. O espírito do blog é de narrar histórias e experiências, de forma que esse escrito reflete unicamente a opinião dos autores.

Posts relacionados:

A AURORA BOREAL (AS LUZES QUE NOS LEVARAM À NORUEGA)

A ELEGANTE CIDADE DE OSLO (E COMO A NORUEGA CRUZOU O NOSSO CAMINHO)

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s