ILHA DE SANTO ALEIXO – A BELEZA ESCONDIDA

 

Estávamos de férias no litoral de Pernambuco, em março de 2016, seguindo as dicas recebidas de uma amiga (Alice) que conhecemos em São Miguel do Gostoso, dois anos antes.

Ela, como boa pernambucana, deu-nos uma lista de praias lindas e pouco conhecidas ou pouco frequentadas. E foi seguindo essas dicas, ou algumas delas, que partimos, de carro, rumo ao litoral pernambucano.
Mas essa história não vai ser contada na sequência em que ocorreu a viagem. Os posts vão aparecer, por ordem de lembrança ou de encantamento… não importa… o importante é espalhar um pouco mais esses lugares, pra que mais sandálias de amantes da natureza possam visitá-los.
E o primeiro lugar, nas lembranças dessa viagem, é a Ilha de Santo Aleixo, que, por sinal, não fez parte da lista de dicas de Alice. Na verdade, chegamos à região sem sequer ter notícia da existência da ilha. Nos hospedamos em Serrambi (falaremos dela em outro post), numa pequena pousada chamada Santo Aleixo (reservada pelo Booking), à beira mar, da qual era possível ver a ilha, ao longe, no horizonte.
Perguntamos ao dono da pousada, Sr. Edvaldo, e ele nos deu as informações, apesar de nunca (pasmem!!!) ter ido à ilha; nos passando, inclusive, o telefone de um guia que poderia nos levar até lá.
Fizemos contato com o guia Wellington, e combinamos o passeio, que incluiu a lancha de ida e volta e a trilha que faz a volta na ilha.
E foi uma doce surpresa!

A Ilha de Santo Aleixo está a cerca de dois quilômetros de Barra do Sirinhaém, um distrito de Sirinhaém, que está entre as Praias de Porto de Galinhas e de Carneiros. Os acessos ocorrem tanto por Serrambi, quanto por Barra de Sirinhaém, separadas apenas pelo Rio Sirinhaém; e são bem rápidos, com cerca de 15 minutos. Os passeios podem ser contratados também em Porto de Galinhas.

 

A lancha que nos levou à Ilha
Deixando a praia de Toquinho, em Serrambi
A ilha tem formato semelhante a uma ferradura e é constituída essencialmente por rochas vulcânicas.
Rochas do solo da Ilha
No lado oeste, por onde chegam as lanchas, tem uma pequena praia de areia, com água calma e cristalina.
Chegando à Ilha
Praia calminha e de águas transparentes

Dando a volta à ilha, é possível acessar, no lado sul, após uma pequena caminhada, uma enseada com uma praia, que mais parece uma grande piscina de águas esverdeadas, absolutamente calmas e transparentes. Aí dá pra nadar, fazer snorkeling ou simplesmente aproveitar a delícia da água. Para os que assim preferirem, a trilha pode encerrar nesse ponto, retornando à prainha da chegada.

 

A linda enseada
Beleza de qualquer ângulo!

E pra ver mais beleza, andando um pouco mais, chega-se ao leste da ilha, com paredes de pedra.

 

 

E, completando a volta, novamente se chega à praia de areia.

 

 

O contraste entre as pedras, com o verde da água transparente, a vegetação e o azul do céu formam um cenário belíssimo.

 

No dia em que visitamos, o tempo estava um pouco nublado, o que não permitiu ver toda a beleza da ilha. Mas, ainda assim, ela se mostrou encantadora.

A água tem temperatura agradável (morninha) e sem ondas… o tipo de banho de mar que apreciamos.

  A ilha, apesar de particular, não tem habitantes fixos, mas apenas uma casa em ruínas e uma pequena infraestrutura de bar, com cadeiras e sombreiros, que serve bebidas, petiscos e pequenas refeições. Falando em comida, o lagostim, fresquinho, é uma pedida altamente recomendada, a preço justo.
Infraestrutura da Ilha
Lagostins recém-pescados
Vá, se você…
– procura um lugar tranquilo, muito tranquilo (principalmente nos dias de semana);
– quer relaxar, apreciando a natureza, sentindo o sol e a brisa do mar;
– não faz questão de muita infra
Não vá, se você…
– prefere lugares agitados (melhor ir, ou ficar, em Porto de Galinhas)
– gosta de estar em lugares com infraestrutura
  • Importante: protetor solar é imprescindível. Um calçado tipo papete, ou similar, é recomendado, porque a trilha, apesar de fácil, tem muitas pedras.
  •  Útil: telefone de Wellington, quando visitamos a região: 81-98222-2500

Um último esclarecimento: este não é um post patrocinado. E fica novamente a dica: O espírito do blog é de narrar histórias e experiências, de forma que esse escrito reflete unicamente a opinião dos autores.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s